Obesimed

(11) 3846-4112/3842-4285
Slide 1 Slide 2

Orientação Psicológica

O PAPEL DO PSICÓLOGO NO TRATAMENTO DA OBESIDADE.

 

A obesidade é uma doença complexa desencadeada por fatores genéticos, mas com contribuições que vão muito além, como por exemplo, comportamentos alimentares excessivos, inatividade física, cultura familiar, acesso a alimentos hipercalóricos ou a falta de  informações nutricionais corretas.

Nos dias de hoje os fatores psicossociais contribuem para a obesidade, pois a cada dia aumentam o número de indivíduos depressivos, estressados e com transtornos de ansiedade, casos esses que predispõe ao corpo a liberação de hormônios prejudiciais à saúde e que proporcionam ganho de peso.

O estigma social que o obeso carrega não é fácil. Ao conversarmos com essas pessoas é recorrente a reclamação a respeito de invasões de amigos ou mesmo familiares em relação à sua forma física, ora dizendo o quanto estão gordos ou ao vê-los empenhados em dietas, desencorajando-os com frases: “Mais um regime? Você sabe que não adianta”!

A grande questão é que o obeso vê-se acuado entre seu desejo de recuperar uma forma física que lhe é cobrada socialmente e diante da ansiedade que isso provoca e que o faz recorrer á compulsões alimentares que só fazem aumentar o problema e cronificá-lo ainda mais.

Sendo a obesidade uma doença multifatorial há a necessidade de uma equipe interdisciplinar para dar conta desta complexidade. Médicos, nutricionistas, enfermeiros e psicólogos ajudam a efetivar um resultado positivo.

Focarei na atividade do PSICÓLOGO. Ao alimentar-se, desde a infância, o alimento marca a vida do sujeito de uma forma que vai além da nutrição. Ele vem permeado da cultura familiar ao qual ele vive e com todas as nuances desta história. Quem nunca ouviu de uma avó que o bebê saudável é um bebê gordinho? Qual criança ao chorar não ganhou um docinho de consolo? E assim por diante.

Quando já obeso, o indivíduo ocupa na família e nas amizades um lugar próprio. Ele é o engraçado, ou é a amiga confidente e companheira de todas as baladas (afinal de contas, no imaginário popular, tendo uma amiga gordinha seu namorado não irá olhar para ela!) ou aquele mais permissivo, que nunca diz não (com medo de não ser aceito). Para sair deste papel, o obeso também sofre pressão, nem que seja inconsciente, para fracassar nesta jornada.

Enfim, para sair do peso que o próprio corpo carrega , há de se livrar de todo peso que esta doença acarreta. Neste momento, ter o auxílio de um profissional da psicologia facilita muito o processo de percepção e saída destes sintomas adjacentes à obesidade.

Não devemos nunca esquecer que mesmo com ajuda profissional, o indivíduo há de querer mudar e, independente da patologia ao qual ele está vinculado, deve-se partir para a ação. Não adianta achar que ao perceber o problema e tendo para ele uma justificativa, pode-se acomodar. Ao contrário, à medida que tomamos consciência do que somos, temos mais responsabilidade de promover mudanças. 

Dra. Patrícia Nunes Fernandes
Psicóloga e Psicanalista clínica da OBESIMED

Rua Gomes de Carvalho, 1581- Conjs.:801/802, Vila Olímpia, São Paulo/SP, 04547-006, Telefone: (11) 3846-4112/3842-4285